sábado, 9 de fevereiro de 2013

(IN)Segurança Pública


(IN)Segurança pública

Vejam o Estado a que chegamos. O trocadilho é múltiplo, e serve para nossa nem tão Santa Catarina, como para o conceitual “Estado” sinônimo de máquina pública. Ataques imprevisíveis põe fogo no patrimônio alheio mostrando que o Crime aqui também pode ser organizado. Se vão cometer crimes, que sejam organizados. Odeio bagunça!

Se eu puder sugerir algo a estes Robin Hoods que nada dão aos pobres, sugiro que queimem apenas ônibus com mais de 10 anos de uso, forçando assim uma melhoria no transporte público a qual nem se sonha mais.

Fui assaltado outro dia por uma manchete: Raimundo Colombo e seus asseclas afirmam: Não precisamos da Força Nacional, temos efetivo suficiente. Puxa, acho que estive em coma por dez anos e acordei desatualizado! Não entendi mais nada.

Lembrei de episódio semelhante, quando o falecido Democratas governava o Rio de Janeiro e igualmente recusou auxílio. Bastou saírem do Poder para se abrirem as portas para a Pacificação e favelas hoje recebem até turistas! Falando nisso, quanto tempo ainda precisamos conviver com o Colombo na mídia? Até 2014. Eia!

Raimundo! Me explica: porque não as forças do governo federal? Será porque elas também investigam as polícias? Será porque ela prendeu um sem-número de policiais corruptos nas suas operações?

Vamos esperar pra ver quem joga a toalha primeiro! Mas torço para que essa quebra de braço não sobre pro povo trabalhador que não tem nada a ver com a lagosta!

Um comentário:

  1. Gente, este é o colega Nilton irreverente!
    Eu também entro na campanha: se é pra queimar, que sejam essas latas velhas de mais de 10 anos de uso.
    Só não vale ferir o povo, porque não é ele quem desceu o sarrafo nos presos. Também não é ele quem deixou esse estado como o estado está!

    ResponderExcluir