quarta-feira, 19 de junho de 2013

Maiorias e minorias


Maiorias e minorias




Hoje, com as manifestações que assistimos temos uma impressão que conseguimos interpretar o sentimento da maioria do povo brasileiro.

É impressionante ver nas ruas manifestação com uma grande massa, a exemplo de São Paulo, que reuniu cerca de 65.000 manifestantes (dados do ESTADÃO).

Contudo, algumas informações não podem passar desapercebidas, como demonstro nos argumentos a seguir.

Nas eleições de 2012, para prefeito desta mesma cidade, que conta com 8,6 milhões de eleitores, as manifestações de votos nulos, abstenções e votos em branco chegaram a 31,59%. Vejam o quadro abaixo:

São Paulo
Ano Eleitorado Absenções Votos em branco Votos nulos Manifestantes 2013
2012 8.619.170 1.722.880 (19,99%) 299.224 (4,34%) 500.578 (7,26%) 65.000 (0,75%)

Para muitos paulistas, a sensação é que o GIGANTE ACORDOU, contudo, 99,42% das células deste gigante continuaram dormindo.

Não se assustem, isto é a democracia, em todo lugar é assim, como vou mostrar.
Voltando as eleições de São Paulo, posso ilustrar ainda outro fato. O vereador menos votado na cidade, tirou individualmente 8.722 votos (0,1% dos eleitores).

Isto significa dizer que 8.610.448 milhões não o escolheram. Seria ele um representante do povo? Da maioria? Não, claro que não.

O que ocorre é que, ORGANIZADAMENTE, o partido que ele milita (Psol) conseguiu um numero de votos suficiente para ocupar uma cadeira da Câmara.

E é sobre esta organização que me refiro. O movimento deixa evidente a falta de um foco organizado. Já tem gente com cartaz contra a presidente, contra o governador contra o prefeito, sendo que só o prefeito tem a prerrogativa de fixar a tarifa de transporte público. (Nem vou citar a quantidade de outras bandeiras)

Tem pessoas pedindo por tudo, e quando algo se define pelo tudo, acaba se definindo pelo nada também. O País não precisa de uma massa sem rumo, que sabe muito bem o que não gosta e o que não quer. Um país não se constrói com frases de efeito. Os políticos tradicionais já fazem isso.

Toda a intenção por trás do movimento é legítima, contudo, sou cético em relação ao movimento e suas possibilidades de mudanças efetivas.

Parte-se do princípio que uma massa nas ruas pode mudar a realidade. Mas convenhamos, se a grande maioria tem mesmo esta “força”, porque esta força não consegue paralisar a minoria de vândalos que prejudica o movimento? Queremos mudar um país mas não conseguimos paralisar um pequeno grupo de extremados?

Tenho fé que este movimento que possui uma face linda, (e algumas manchas indisfarçáveis), não se enfraqueça e se reduza a um simples período como aconteceu com o Movimento “fora Collor”, mas se constitua, com o tempo, em diversos grupos organizados, com caráter permanente para qualificar a atuação da sociedade na fiscalização e na construção de um projeto novo, mas acima de tudo democrático.

E agora, se você é daqueles que vive dizendo que políticos são todos iguais e que nenhum presta, você se iguala aos que dizem que manifestantes são todos iguais, são todos Vândalos. Pensem nisso!

Este documento foi produzido com Software livre!

terça-feira, 7 de maio de 2013

Sobre cães e outros bichos



REFLEXÃO



Se você defende punição para as pessoas que abandonam um cão.




Se você defende punição para as pessoas que maltratam um cão.





Se você acredita que um Pitbull não deve ser sacrificado porque atacou uma pessoa e que o verdadeiro culpado é o dono que o adestrou para ser agressivo, e ele é que deve ser punido.



Então você deve começar a entender porque os menores de idade são tratados pela lei como vítimas.



Menor de idade não nasce criminoso e não vira criminoso de uma hora para outra.



Ninguém acorda aos dezesseis ou dezessete anos e decide entrar para o crime. Todos têm uma história. O crime é só uma conseqüência de abandono, e contra o abandono, o que estamos propondo????  Não devemos lutar apenas contra as conseqüências, mas prevenir combatendo as causas. 

Pense nisso.

segunda-feira, 25 de março de 2013

Moscas Azuis



Não sei o que mais me deixa p... da vida, se são as pessoas que se acham porque acessam uma posição de poder, ou se são as pessoas que passam a se achar poderosas porque ficaram amigas de alguém que tem poder.

Na minha vida já estive perto de alguns centros de poder. Acredito que pela personalidade dos que convivi e que detinham a “caneta”, não os vejo todos como pessoas acometidas do surto da mosca azul, mas com certeza, presenciei inúmeros casos de mosca azul nos “chegados” ao poder.

Utilizo o termo chegados pois é disso que se trata. São pessoas que ao verem algum conhecido alçarem uma posição, chegam junto como moscas no lixo.

Mais engraçado fica quando o poder/mandato acaba. Como aves migratórias descobrem rapidamente as qualidades do novo detentor e passam a bajular.

Se alguém conhece algum inseticida pra estes tipos, me indique. Conheço pessoas que merecem uma boa aspergida!

Pronto postei!

sábado, 9 de fevereiro de 2013

(IN)Segurança Pública


(IN)Segurança pública

Vejam o Estado a que chegamos. O trocadilho é múltiplo, e serve para nossa nem tão Santa Catarina, como para o conceitual “Estado” sinônimo de máquina pública. Ataques imprevisíveis põe fogo no patrimônio alheio mostrando que o Crime aqui também pode ser organizado. Se vão cometer crimes, que sejam organizados. Odeio bagunça!

Se eu puder sugerir algo a estes Robin Hoods que nada dão aos pobres, sugiro que queimem apenas ônibus com mais de 10 anos de uso, forçando assim uma melhoria no transporte público a qual nem se sonha mais.

Fui assaltado outro dia por uma manchete: Raimundo Colombo e seus asseclas afirmam: Não precisamos da Força Nacional, temos efetivo suficiente. Puxa, acho que estive em coma por dez anos e acordei desatualizado! Não entendi mais nada.

Lembrei de episódio semelhante, quando o falecido Democratas governava o Rio de Janeiro e igualmente recusou auxílio. Bastou saírem do Poder para se abrirem as portas para a Pacificação e favelas hoje recebem até turistas! Falando nisso, quanto tempo ainda precisamos conviver com o Colombo na mídia? Até 2014. Eia!

Raimundo! Me explica: porque não as forças do governo federal? Será porque elas também investigam as polícias? Será porque ela prendeu um sem-número de policiais corruptos nas suas operações?

Vamos esperar pra ver quem joga a toalha primeiro! Mas torço para que essa quebra de braço não sobre pro povo trabalhador que não tem nada a ver com a lagosta!