segunda-feira, 12 de novembro de 2012

A província - parte 1


Neste mês, me revesti da qualidade de consumidor de cultura em Indaial. Fui assistir apresentações na Fundação e o encerramento dos grupos de dança no Pavilhão do Parque “River Rock”.

A apresentação da fundação tratava-se de Viola caipira, sendo uma apresentação de um grupo local, e a outra de um artista nacional. (Índio Cachoeira – Trazida pelo SESC).

Os artistas foram excelentes, mas vou analisar e comentar os aspectos de gestão dos eventos, que são o objeto de minha indignação.

Para começar, o local não dispõe de palco, o que prejudica a visibilidade no caso de muito público. O que também não foi o caso, pois a divulgação é pífia.

A própria fundação e seus horários impossibilitam uma participação mais popular, haja vista não termos horários de ônibus à noite.

Já de início, uma falha na iluminação mobilizou todos para o andar inferior, mas me preocupa o fato de que a manutenção da casa está neste patamar.

Na apresentação do Parque, a maior decepção. Novamente as crianças (baixinhas) se apresentando sem palco e o público tendo que se levantar das cadeiras para ver alguma coisa. Resultado, Muitos indignados pois não viram nada. O Som: horrível!

Menção honrosa para muitos espectadores que esbanjando falta de educação se atravessavam na frente de pessoas sentadas no afã de fotografar e filmar. Não dava pra saber se queriam mesmo isso ou apenas exibirem seus celulares e tablets de ultima geração.

Me perdoem os funcionários da Fundação, acredito que fazem o melhor que conseguem, mas falta muito para nossas atividades culturais se constituírem uma boa opção para a população. Para um pequeno grupo já satisfaz, justificando o título deste artigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário