quinta-feira, 12 de maio de 2011

MOMENTO DE REFLETIR


Basta acontecer uma tragédia e voltamos a viver a síndrome da copa do mundo (onde os cidadãos viram todos técnicos de futebol). Como bom cidadão, vou também comentar o episódio envolvendo a morte de um jovem na danceteria em Jaraguá do Sul.

Abro parênteses para parabenizar os jornalistas que lembraram que a venda de bebidas alcóolicas é proibida para menores.

Vendo as cenas, não fico apenas impressionado com a violência dos covardes, mas também me chama a atenção a passividade dos que assistiam ao episódio.

No vídeo dá pra perceber o menor vitimado da facada, se levantar e cair novamente sem qualquer ajuda de outros que estavam por perto. Só após a queda do mesmo se encorajam à proximidade.

Motivo: Talvez, individualismo, talvez descompromisso ético ou ausência de moral. (Raciocínio válido também, sem dúvida para os covardes, estes em bem maior grau).

No movimento ambientalista, uma bandeira e argumento fundamental, é o questionamento sobre qual planeta deveremos deixar para as próximas gerações.

Alerta-se a população para se modificar através de pequenos gestos, comportamentos nocivos que acumulados contribuem para a degradação do meio ambiente.

No aspecto da moral, entendo que o planeta corre os mesmos riscos. Uma indiferença aqui, um “lavar as mãos ali”, uma omissão mais adiante, a soma destes comportamentos podem  vir gerar uma sociedade insustentável no futuro. Sustentabilidade ambiental sozinha, se conseguirmos,  não será suficiente.

Tal como as questões ambientais foram se inserindo nas escolas, e tomaram um vulto maior (ainda insuficiente para frear muitas irregularidades), entendo que a sociedade precisa se dar conta da importância de debater sobre bulling e diversos tipos de preconceitos.

Hoje já vemos nas crianças muitos comportamentos complicadíssimos, que muitas vezes são tratados por alguns pseudo-pais como coisas normais e até objeto de risos.

Nós, pais e escolas, vamos apenas ficar olhando e esperando o tempo passar? Um movimento de resgate de valores morais é preciso. Como fazer? Não temos receitas prontas. Vamos começar logo, pois cada passo nos coloca mais perto do destino.

Pensem nisso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário